TEMA: Fronteiras da Ciência

10/05/2019 18:43

FRONTEIRAS DA CIÊNCIA: ESTAMOS CONSTRUINDO MAIS PONTES OU MAIS MUROS?

Ciência: reconhecida como uma atividade indispensável na construção do conhecimento de nossa espécie. Em sua missão, centenas de anos de exploração nos trouxeram novos mundos, novas vidas e, de certa forma, novas civilizações. Sempre audaciosamente se aventurando por caminhos que o ser humano jamais imaginaria que fossem possíveis!

Serão as Fronteiras da Ciência que irão nortear as atividades da XX Semana Acadêmica da Biologia. Mas afinal, sobre que tipo de fronteiras falamos?

Destacam-se aqui alguma das definições da palavra “Fronteira”:

1) Parte que corresponde ao limite extremo de uma terra, área, região etc., a parte limítrofe de um espaço que confina com outro.
2) Limite, marco ou linha divisória entre duas regiões, dois estados, países etc.
3) Estado, condição ou situação limite; raia, limiar.
4) Ponto extremo, mais avançado ou mais profundo, de algo de caráter abstrato

Explorando os limites do conhecimento científico, abordaremos as fronteiras onde atuam as áreas de pesquisa mais inovadoras da atualidade. Pesquisas promissoras que prometem expandir o conhecimento humano a novos rumos, quebrando paradigmas científicos atuais, alterando até mesmo o que conhecemos sobre a realidade. A edição genética através da CRISPR/Cas9, a nova proposta do Antropoceno, a Biologia Sintética, a emergência das pesquisas em Biologia Quântica, as bases biológicas da Consciência e da Mente, Epigenética, discussões sobre Teoria das Cordas, aspectos de Astrobiologia e da Terraformação de Marte etc. Esse são só alguns exemplos de como a Ciência está sempre se aventurado além do horizonte, construindo pontes em territórios desconhecidos.

Entretanto, essas não são as únicas fronteiras da atividade científica. Até que ponto a própria Ciência não é uma fronteira para quem a observa de fora? Seria sua aparente complexidade aos olhos de pessoas leigas algo capaz de torná-la desinteressante? Existem oportunidades iguais dentro da Ciência para que todos e todas possam explorar esses novos horizontes? A Ciência é feita para a sociedade ou por ela? Se a Ciência não é feita para todos, ou se todos não podem ter o igual direito de apreciar seus feitos, qual é então seu papel na sociedade? Quando uma fronteira é limitante, é porque existem muros e abismos nela. É isso que queremos?

Por fim, não basta o comprometimento da Ciência e da Educação brasileira no progresso e desenvolvimento da soberania nacional. Sabemos dos tempos nebulosos que pairam sobre essa área. Descrédito perante alguns setores da sociedade, uma crescente onda anti-intelectual e anticientífica, redução dos incentivos financeiros etc. Diversos fatores ameaçam e criam ainda mais muros para o 12º país que mais publica artigos no mundo. Como revertemos isso? Como chegamos a isso? Ciência brasileira, seria essa sua fronteira final?

É esse o objetivo da XX Semana Acadêmica da Biologia: refletir e conversar sobre fronteiras/pontes/muros entre academia e sociedade; política e ciência; biologia e demais ciências.

Ainda há muita balbúrdia por vir!

Tags: SemaBioUFSCUFSCXXSemaBio